My Image
My Image

CONTATO

Radiofrequência Corporal

My Image

O que é

A radiofrequência é um equipamento que tem como objetivo trabalhar a flacidez tissular (de pele). Ainda é uma técnica recente, que gera muitas dúvidas, principalmente com relação aos parâmetros para cada caso, mas existem muitos estudos que podem comprovar a eficácia - principalmente com relação a regeneração de tecido. Dizem os especialistas, que trata-se do melhor aparelho até o momento para estimular a produção de colágeno.

Flacidez tissular

Considerando que a flacidez é uma das disfunções estéticas mais difíceis de ser tratada, a radiofrequência aparece como uma solução atual. Foi em novembro de 2002 que houve a primeira indicação estética aprovada pelo Food and Drug Administration (FDA), dos Estados Unidos, para uso da radiofrequência no combate a rugas perioculares e em dezembro de 2005 para aplicação no restante do corpo.

A radiofrequência utiliza uma radiação de espectro eletromagnético que gera calor entre 30 Khz a 300 Mhz. Esse tipo de calor alcança os tecidos mais profundos, mantendo a superfície da pele, a epiderme, resfriada e protegida. Portanto a cliente sente o calor, mas algo que é suportável. O aquecimento da radiofrequência começa a partir da camada basal. Na derme papilar e reticular, camadas mais profundas, a radiofrequência ocasiona a contração das fibras colágenas existentes e estimula a formação de novas fibras, tornando-as mais eficientes na sustentação da pele.


Como funciona

O equipamento ocasiona um efeito imediato e um tardio. Num primeiro momento, a radiofrequência vai causar a contração das fibras de colágeno e elastina, gerando um efeito “lifting”. Dentro de 14 a 21 dias após a aplicação, vai acontecer a neocolagênase, que é uma estimulação do fibroblasto para maior produção de colágeno e assim formar novas fibras, melhorando o aspecto da pele. Como resultado, há uma pele mais hidratada, e mais firme.

A radiofrequência tem sido utilizada também para tratamento de cicatriz, pois dá maleabilidade do tecido. Para tratamento de HLDG também pode mostrar bons resultados, pois causa o aumento da circulação local - mas não é o melhor equipamento se o caso for só de HLDG. A radiofrequência é mais aconselhada para flacidez tissular mesmo.

A Radiofrequência tem se mostrada eficiente também para a redução da gordura localizada, por lipólise.

Como é feita a produção de calor através da Radiofrequência?

Existem 3 formas de gerar calor por este aparelho.

• Através da agitação de moléculas com carga (polares). As moléculas vão acelerar e a energia cinética é convertida em calor.

• Através das moléculas dipolares, como a H20. É a que produz mais calor, pois onde tem mais água, a agitação é maior e a energia cinética também.

• Moléculas não polares (como as células adiposas), respondem produzindo pequena quantidade de calor.

Aplicação

Quando a profissional alcança a temperatura ideal na área a ser trabalhada, deve manter a temperatura de 2 a 4 minutos no local. Lembre-se que a técnica da radiofrequência é de temperatura dependente e não de tempo total de aplicação. O sucesso do protocolo depende do tempo de permanência térmica para cada tipo de tratamento. O monitoramento da temperatura é fundamental para o sucesso do tratamento.

Devemos respeitar o limiar de sensibilidade de cada cliente, mudando de área e aumentando a velocidade da manopla quando atingir a temperatura desejada. Para flacidez cutânea corporal, a temperatura deve ser de 38ºC a 40ºC e pode ser associada a carboxiterapia.


Indicações

• Flacidez cutânea

• Fibroses e aderências

• Acne em fase cicatricial

• Gordura localizada


Contraindicações

• Gestantes

• Neoplasias

• Portadores de marca-passo

• Peles com transtornos circulatórios, como varizes e tromboses

• Condições hemorrágicas

• Diabéticos

• Infecções sistêmicas ou locais

• Alterações de sensibilidade

• Uso recente de peeling químicos, biológicos ou resurfacing a lase

• Não pode ser utilizado sobre o globo ocular, glândula tireóide, regiões que possuam próteses metálicas e órgãos genitais


EFEITOS FISIOLÓGICOS

• Vasodilatação local

• Incremento da circulação sanguínea

• Maior aporte de nutrientes

• Maior atividade metabólica e enzimática

• Diminuição da viscosidade

• Alteração do tecido colagenoso

• Estimulação nervosa (diminui o quadro álgico)


Sessões

A radiofrequência também age no tratamento da gordura localizada

São necessárias de três a dez sessões em cada região tratada. O número de sessões dependerá do objetivo a ser alcançado, da alteração apresentada e da resposta individual de cada paciente. Devem ser respeitadas as frequências de uma sessão semanal para o corpo e uma a cada duas ou três semanas para o rosto. Para manutenção do resultado, devem ser realizadas novas sessões de radiofrequência anualmente.

Cada sessão dura de 20 a 40 minutos.

CUIDADOS

• No período menstrual - pode aumentar o sangramento

• Tecido isquêmico